Residência em oclusão, distúrbio do sono e DTM | Matrícula

R$ 1.225

Categoria Tags: , , Product ID: 267

Descrição

Solucionar dores crônicas, atuar na qualidade do sono e melhorar a qualidade de vida dos pacientes são valores que serão agregados ao longo desse curso na sua vida profissional.

Há como o dentista atuar nas relações neuropáticas podendo dar conforto e solucionar dores crônicas. Hoje, cerca de 45% da população brasileira tem problemas com a qualidade do sono, o que gera disfunções metabólicas, repercutindo de forma sistêmica. Aprenda na prática como atuar em sua clínica diária.

  1. Teórico, laboratorial e clínico;
  2. Apenas 9 alunos;
  3. Apresenta o status de três temas:
    a. As patologias do sono e suas correlações com diversas disfunções e doenças físicas e mentais de acordo com parâmetros das neurociências;
    b. O metabolismo corporal e sua associação com doenças primárias, degenerativas e neoplásicas;
    c. Desordens temporomandibulares e oclusão. Com atendimento clínico, montagem em articulador e ajuste oclusal convencional e digital.

 

PROFESSOR
Dr. Roberto Maciel (DTM)
– Cirurgião-dentista;
– Especialista em prótese dental;
– Especialista em disfunções e dores orofaciais;
– Colaborador em 10 livros de odontologia;
– Autor de “Oclusão e ATM” (1996), editora Santos;
– Autor de “ATM e dores craniofacias” (2002), editora Santos.

 

DATAS/HORÁRIO
Módulo 1 → 27, 28 e 29 de setembro
Módulo 2 → 25, 26 e 27 de outubro
Módulo 3 → 22, 23 e 24 de novembro
Módulo 4 → 13, 14 e 15 de dezembro
Módulo 5 → 17, 18 e 19 de janeiro
Módulo 6 → 7, 8 e 9 de fevereiro
9h às 18h.

 

PROGRAMA

Módulo 1

1º dia (27 de setembro)

  1. Recepção e apresentação do curso;

  2. Considerações iniciais;

  3. Evolução da odontologia;

  4. Neurociências (odontologia e a década do cérebro).
    • Introdução à ciência da dor crônica (segmento orofacial);
    • Fisiopatologia das síndromes dolorosas (dores nociceptivas, neuropáticas e psicossomáticas);
    • Fisiopatologia da dor miofascial e fibromialgia;
    • Fisiopatologia da enxaqueca (migraineas);
    • Fisiopatologia das desordens temporomandibulares (DTMs articulares);
    • O cérebro e os novos mecanismos da dor (circuitos neuronais e plasticidade);
    • Os novos recursos auxiliares para o diagnóstico da dor: termografia infravermelha.

2º dia (28 de setembro)

  1. Introdução às patologias do sono;
  2. Clínica do sono (competências da odontologia – consenso brasileiro/internacional);
  3. As correlações clínicas do débito crônico do sono (declínio imunológico, depressão, cardiopatias, obesidade, entre outras);
  4. Bruxismo do sono (bruxismo do sono e oclusão dentária (fundamentos para reabilitação oral);
  5. Apneia obstrutiva do sono (processo respiratório, oxigenação corporal e cerebral);
  6. Plasticidade e padrões do sono (energia mitocondrial);
  7. Apresentação do TENS (estimulação elétrica transcutânea neural);
  8. Plasticidade neurológica – tratamentos de transtornos neurológicos através de estimulação sonora e estimulação elétrica transcutânea – uma nova modalidade terapêutica indicada para distúrbios neurológicos;
  9. Questionários aplicados (função e modo de aplicação dos mesmos), propedêutica clínica (aplicação dos questionários e escalas para dor crônica orofacial e patologias do sono).

3º dia (29 de setembro)

  1. Prática clínica;
  2. Demonstração de atendimento clínico inicial em pacientes;
  3. Discussão e interpretação das respostas dos questionários;
  4. Treinamento com aplicação de termografia infravermelha;
  5. Demonstração de testes clínicos diferenciais (Front-Plateau, infiltrações e TENS);
  6. Demonstração prática do TENS (relaxamento, analgesia e desprogramação para registros);
  7. Aplicação de neuroplasticidade em pacientes específicos.

Módulo 2

1º dia (25 de outubro)

  1. Dor orofacial crônica.
    • Abordagem neurobiológica periférica;
    • Abordagem neurobiológica central.
  2. Diagnóstico;
  3. Exame clínico com enfase à dor orofacial e DTM (palpação manual, Front-Plateau, bloqueios infiltrativos);
  4. Exame clínico com enfase à apneia obstrutiva do sono;
  5. Exame clínico com enfase à oclusão e bruxismo;
  6. Exames complementares;
  7. Exames complementares básicos (imagens radiográficas e exames laboratoriais);
  8. Imagens para ATM (da panorâmica à ressonância magnética);
  9. Imagens para vias respiratórias (da telerradiografia às imagens 3D – Cone Beam);
  10. Polissonografia convencional.
  11. Polissonografia domiciliar – Sistema Watch-PAT;
  12. Treinamento da leitura de imagens e Polissonografia | Laboratório

2º dia (26 de outubro)

  1. Oclusão dentária
    • Posições da mandíbula (relação cêntrica e dimensão vertical);
    • Métodos e técnicas de obtenção das posições mandibulares (JIG, Leag Gauge, arco gótico e TENS);
    • Relações oclusais nas DTMs (articulares e musculares);
    • Critérios para oclusão em mútua proteção (distribuição e controle de cargas oclusais para reabilitação oral);
    • A importância das guias nos movimentos mandibulares (desoclusão canina, função de grupo);
    • Oclusão aplicada à reabilitação oral estética;
    • Oclusão aplicada à reabilitação ortodôntica.
  2. Introdução à farmacologia de urgência (medicamentos para alívio da dor e indutor do sono).
  3. Treinamento clínico oclusal entre os colegas;

  4. Treinamento para obtenção da relação cêntrica (JIG, Leaf Gauge, arco gótico e TENS);

  5. Exame clínico demonstrativo com ênfase oclusal (avaliação dos contatos em cêntrica e excêntrica);

  6. Confecção de aparelhos parciais e aplicação de TENS.

3º dia (27 de outubro)

  1. Atendimento clínico de pacientes (definição do plano de tratamento);
  2. Aplicação de TENS, bloqueios infiltrativos, confecção de Front-Plateau;
  3. Solicitação de exames complementares e prescrição de medicamentos;
  4. Aplicação de neuroplasticidade em pacientes específicos (controle da evolução terapêutica através inventários e questionários comparativos).

Módulo 3

1º dia (22 de novembro)

  1. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas (degraus para dor nociceptiva e mista – OMS, 2009);
  2. Farmacologia aplicada à dor crônica, patologias do sono e distúrbios neurológicos;
  3. Nutracêuticos e suplementos aplicados à dor crônica e patologias do sono e distúrbios neurológicos;
  4. Medicamentos biológicos para doenças degenerativas autoimunes;
  5. Laserterapia aplicada às dores crônicas musculoesqueléticas e orofaciais;
  6. Eletroterapia (TENS) aplicada às dores musculoesqueléticas.

2º dia (23 de novembro)

  1. Bloqueios infiltrativos combinados (lidocaína com corticosteróides e toxina Botulínica);
  2. Acupuntura termoguiada;
  3. Neuroplasticidade – princípios e aplicações clínicas;
  4. Distúrbios respiratórios (crianças, adolescentes e adultos);
  5. Tratamentos físicos para a apneia obstrutiva do sono (cirurgias, CPAP e aparelhos orais).

3º dia (24 de novembro)

  1. Aplicação de TENS e laser em pacientes;
  2. Aplicação de neuroplasticidade em pacientes específicos (controle da evolução terapêutica através inventários e questionários comparativos);
  3. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com escalas de dor;
  4. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com palpação e escalas de dor;
  5. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com termografia infravermelha;
  6. Moldagem e registros de pacientes para confecção de placas (placas de estabilidade e placas para roncopatia).

Módulo 4

1º dia (13 de dezembro)

  1. Placas oclusais (aplicações admitidas);
  2. Placa noturna de repouso neuromuscular (Night Guard) para o bruxismo do sono e proteção dos tecidos passivos;
  3. Placa para ATM (tratamento coadjuvante nas patologias da ATM);
  4. Placa guia de posicionamento mandibular (para tratamento ortodôntico e para reabilitação oral);
  5. Placas de posicionamento mandibular temporário (controle das vias aéreas para ronco e apneia);
  6. Placas para diagnóstico diferencial (inclusão-exclusão de desvios oclusais e DTMs – articulares e musculares);
  7. Placas pré-fabricadas autorreguláveis (novas concepções);
  8. JIG guia para análise oclusal, obtenção e registo de RC;
  9. Prática laboratorial: passo-a-passo de confecção de placas (manual direto na boca, manual com enceramento e prensada a frio, a vácuo) – apoio de técnico de laboratório;
  10. Técnicas de acabamento das placas pós-ajustes no consultório (polidora química);
  11. Manejo clínico – ajustes e controle de acordo com a evolução terapêutica.

2º dia (14 de dezembro)

  1. Articuladores semi-ajustáveis;
  2. Avaliação oclusal passo a passo de pacientes (orientação para moldagens e registros);
  3. Treinamento entre colegas para montagem passo-a-passo de articulador semi-ajustável | Laboratório

3º dia (15 de dezembro)

  1. Sequencia de atendimento clínico;
  2. Controle farmacológico;
  3. Aplicação de TENS e laser em pacientes;
  4. Aplicação de neuroplasticidade em pacientes específicos (controle da evolução terapêutica através inventários e questionários comparativos);
  5. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com escalas de dor;
  6. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com palpação e escalas de dor;
  7. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com termografia infravermelha;
  8. Montagem de articulador semi-ajustável em pacientes;
  9. Inserção de placas interoclusais e placas para o ronco e apneia do sono em pacientes.

Módulo 5

1º dia (17 de janeiro)

  1. Oclusão digital (documentação inicial e final – suporte clínico para procedimentos oclusais);
  2. Apresentação do Sistema OccluSense Analisys;
  3. Escaneamento oclusal (tempo de oclusão – tempo de desoclusão);
  4. Registros de contatos e de movimentos (registros de apertar e ranger);
  5. Aplicações clínicas da oclusão digital (ortodontia, periodontia, reabilitação oral e placas oclusais);
  6. Treinamento clínico entre colegas (auto estudo comparativo);
  7. Exame clínico oclusal (manejo convencional – uso de papel articular de diferentes cores e espessuras – Accu Film);
  8. Exame clínico oclusal (manejo digital);
  9. Ortodontia associada ao posicionamento anterior da mandíbula – uso de anteparo anterior fixo como referência para mecânica;
  10. Ajuste oclusal funcional – regras e aplicações clínicas para ajuste por desgaste e acréscimo seletivo (finalização de casos ortodônticos).

2º dia (18 de janeiro)

  1. Apresentação do tema DVO e DVR em reabilitação oral complexa;
  2. Demonstração aumento de DVO;
    • Conteúdo teórico;
    • Materiais;
    • Adesão;
    • Estética.
  3. Mock-up para pacientes com necessidade de recuperação da DVO e/ou ajustes oclusais;
  4. Apresentação de casos clínicos;
  5. Documentação fotográfica da sequência manual e sequência digital.

3º dia (19 de janeiro)

  1. Sequencia de atendimento clínico;
  2. Controle farmacológico;
  3. Aplicação de TENS e laser em pacientes;
  4. Aplicação de neuroplasticidade em pacientes específicos (controle da evolução terapêutica através inventários e questionários comparativos);
  5. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com escalas de dor;
  6. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com palpação e escalas de dor;
  7. Controle da evolução terapêutica dos pacientes com termografia infravermelha;
  8. Ajustes e controles das placas interoclusais e das placas para o ronco e apneia do sono;
  9. Ajuste oclusal por desgaste seletivo e acréscimo seletivo em pacientes (restauração da DV).

Módulo 6

1º dia (7 de fevereiro)

  1. Organograma para tratamentos integrados;
  2. Musicoterapia avançada;
  3. Terapias de apoio para a neuroplasticidade (ozonioterapia);
  4. Higiene do sono (Relaxamento de Jacobsen);
  5. Tecidos terapêuticos: indicações e benefícios;
  6. Relacionamento com as áreas diversas médicas. Limites da ação odontológica: como trabalhar com uma equipe interdisciplinar?
  7. Conexões médicas;
    • Conexão com a neurologia (Migraineas, neuropatias, transtornos neurológicos que afetam a face);
    • Conexão com reumatologia (patologias ósseas degenerativas e fibromialgia);
    • Conexão com a otologia (zumbidos, Baroacusia, vertigens);
    • Conexão com nutrologia (desordens químicas e metabólicas).
  8. Conexões com biomedicina (laboratórios).
    • Exame da saliva (para avaliar melatonina, insulina, cortisol, estradiol, testosterona, progesterona e outros).

2º dia (8 de fevereiro)

  1. Follow-up dos pacientes tratados durante o curso e determinação dos cuidados.
    • Revisão e reforço em temas selecionados pelos colegas;
    • Apresentação de casos clínicos pelos colegas responsáveis pelos pacientes (cada dupla terá um caso selecionado para apresentar ao grupo com os resultados finais e toda documentação: termografia, polissonografia e fotografias).

3º dia (9 de fevereiro)

  1. Finalização dos casos clínicos.

 

LISTA DE MATERIAIS
Todo incluso.

 

APOIO

                      


TERMO DE CANCELAMENTO

Se houver necessidade de cancelamento ou mudança de data por parte da zeal:
zeal tem o direito de adiar ou cancelar seus cursos em até 15 dias da data marcada, caso o número mínimo de inscrições não seja alcançado. Nesse caso, a zeal vai restituir 100% do valor pago ou poderá ser usado para uma futura data do mesmo curso.

Em caso de desistência por parte do aluno:

  • em um prazo inferior a 30 (trinta) dias do início do curso, a zeal não restituirá o valor da matrícula.
  • em até 30 dias do início do curso, a zeal restituirá o valor integral da matrícula.

Para situações específicas:

  • zeal não se responsabiliza pela restituição e/ou reembolso de valores gastos com hotel, transporte e despesas pessoais inerentes a permanência dos alunos durante o período do curso;
  • Os cursos serão realizados somente com preenchimento de no mínimo 10 (dez) participantes para turmas de 12 (doze);
  • Quando o número mínimo de participantes não for alcançado, a zeal formalizará o cancelamento via email em até 15 (quinze) dias da data programada para realização do curso;
  • O valor dos cursos contratados refere-se exclusivamente ao conteúdo programático que será ministrado, não incluindo quaisquer outros custos paralelos (reserva de hotéis, tarifas aéreas, translado e despesas pessoais);
  • Se houver desistência por parte do aluno antes do término dos cursos com mais de um módulo, a zeal não devolverá ao aluno o valor referente aos módulos que serão perdidos, visto que as vagas são limitadas e não teremos como inserir outro aluno no meio do curso.